Nossas redes sociais

Mundo

CIA diz que Coreia do Norte está próxima de aperfeiçoar capacidade nuclear

Publicado

em

O diretor da Agência Central de Inteligência (CIA, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, Mike Pompeo, afirmou que a Coreia do Norte está a meses de aperfeiçoar suas capacidades de armas nucleares

No entanto, ele disse que há uma diferença entre ter a capacidade de disparar um único míssil nuclear e a capacidade de produzir grandes quantidades de material cindível e desenvolver um arsenal dessas armas. De acordo com Pompeo, é importante para os EUA e seus aliados conseguirem parar as ambições nucleares do líder norte-coreano Kim Jong-un.

Pompeo afirmou que os EUA devem se comportar como se a Coreia do Norte estivesse a ponto de ter a capacidade de lançar um ataque nuclear. Os comentários foram feitos nesta quinta-feira, durante um fórum de segurança nacional em Washington.

Por Associated Press
Continue a ler
Click para Comentar

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

União Européia não intermediará impasse na Espanha

Catalunha que independência da Espanha, mas governo espanhol descarta essa possibilidade

Publicado

em

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, está descartando qualquer papel da União Europeia (UE) na disputa entre o governo central e a Catalunha, ao passo em que Madri pondera se retira alguns poderes do governo regional.

“Não é espaço para qualquer tipo de mediação, ou iniciativas internacionais ou ação”, Donald Tusk.

Tusk disse que “não há segredo de a situação na Espanha é preocupante”, mas ele acrescentou que a crise da Catalunha não estava na agenda do encontro em Bruxelas. A Espanha insiste que isso não será discutido.

O governo Catalão procurou a mediação da UE para ajudar a aliviar as tensões, mas Madri considera os movimentos da Catalunha para a independência ilegais e rejeita intervenção externa.

O chefe do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, alertou que se a Catalunha declarar sua independência da Espanha, “ninguém na União Europeia” reconheceria a região como um Estado soberano.

Por Associated Press
Continue a ler

Mundo

Nações Unidas querem investir no futuro de meninas de 10 anos

Objetivo é evitar evasão escolar e casamentos precoces. No Brasil, estima-se que 66 mil meninas entre 10 e 14 anos estejam em situação de casamento, muitas com filhos

Publicado

em

O Fundo de População das Nações Unidas aponta que há cerca de 60 milhões de meninas com 10 anos, a maior parte em regiões menos desenvolvidas do mundo. Os dados são do relatório “Situação da População Mundial 2016”, apresentado em audiência pública da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara.

A representante do fundo, Fernanda Lopes, destacou que as escolhas que são feitas para essas meninas podem obrigá-las a largar a escola, casar muito cedo e a trabalhar antes da idade madura. Ela explicou que a idade de 10 anos foi escolhida porque seria a partir dessa faixa que a qualidade dos apoios recebidos pelas meninas teria grande impacto para o futuro da população.

Audiência pública para Proteger as meninas no presente para empoderar as mulheres do futuro

“Essas meninas que em 2015 tinham 10 anos; em 2030, terão 25. Se nós fizermos os investimentos corretos, elas estarão prontas para educar uma nova geração com outros elementos, com outros valores, que terão sido construídos e consolidados se elas tiverem mais oportunidades de serem mantidas na educação formal”, defendeu.

Fernanda disse ainda que 20% dos jovens não estudam, nem trabalham, e a maior parte desse contingente é de mulheres. “No trabalho doméstico, elas vão dedicar 30 horas semanais em média. E, mais tarde, enfrentarão uma diferença de rendimentos com os homens de 34%”, alertou. A especialista ressaltou ainda que no Brasil, 66 mil meninas entre 10 e 14 anos estão em situação de casamento, muitas com filhos.

Para a deputada Janete Capiberibe (PSB-AP), o governo brasileiro não vem contribuindo para a melhora da situação das meninas:

“O governo Temer reduziu 35% os recursos para as políticas de direitos humanos, 54% os recursos para as políticas de autonomia das mulheres e 61% nas políticas para atendimento de mulheres violentadas”, lamentou.

A deputada criticou ainda o projeto de lei em discussão na Câmara da Escola sem Partido (PL 7180/14). “O que os fundamentalistas apelidaram de ‘ideologia de gênero’ promove a opressão das meninas, mulheres, e de todos aqueles que não se enquadram no padrão da sociedade hetero-normativa”, afirmou.

Representante da ONU Mulheres Brasil, Ana Lúcia Monteiro mostrou os diversos programas da entidade para empoderamento das mulheres. Ela ressaltou que, na adolescência, as meninas precisam ser apoiadas para não se recolherem de alguma forma. “Cerca de 49% abandonam os esportes nessa faixa etária”, exemplificou.

Julieta Jacob, do Centro de Orientação em Educação e Saúde, divulgou o livro “Princesa de Capa. Herói de Avental”, método utilizado para discutir as mensagens que os contos de fada transmitem para meninas e meninos. O trabalho está disponível na internet em www.escoladeser.org.br.

Por Sí­lvia Mugnatto, da Agência Câmara Notícias
Continue a ler

Mundo

ONU celebra Dia para Eliminação Total das Armas Nucleares

Publicado

em

A Assembleia Geral das Nações Unidas reuniu-se neste 26 de setembro em Nova York para celebrar o Dia Internacional para Eliminação Total das Armas Nucleares. O secretário-geral da ONU, António Guterres, discursou na abertura do encontro ressaltando que, nos últimos meses, os perigos das armas atômicas foram mais uma vez evidenciados.

Guterres mencionou uma série de testes realizados pela Coreia do Norte recentemente e que, segundo ele, foram uma provocação, aumentando as tensões e os perigos de uma proliferação das armas nucleares. Ele condenou, de forma veemente, os ensaios e voltou a elogiar a decisão do Conselho de Segurança, que impôs sanções ao país, “demonstrando uma ação firme e o desejo por uma solução política, pacífica e diplomática”.

Por mais de 70 anos, o desarmamento nuclear tem sido um dos objetivos centrais das Nações Unidas, desde a primeira resolução da Assembleia Geral. Para Guterres, todo país tem o direito de exigir a eliminação dessas armas de destruição. Atualmente o mundo tem mais de 15 mil armamentos nucleares.

Na semana passada, durante os debates anuais de líderes internacionais na ONU, vários países firmaram o Tratado de Proibição de Armas Nucleares, adotado pela Assembleia em 7 de julho.
Segundo o chefe da ONU, a questão é clara: o único mundo que está seguro das armas atômicas é um mundo completamente livre desse tipo de armamento.

Redução

Guterres reconheceu os esforços de países que têm armas atômicas, especialmente os Estados Unidos e a Rússia, para reduzir seus arsenais. Mas, segundo ele, campanhas caras de modernização combinadas com uma falta de planejamento na redução de arsenais, além do tratado New Start (Novo Começo), tem dificultado a visão de como as obrigações nucleares têm sido cumpridas.

O secretário-geral da ONU encerrou o seu discurso no Dia Internacional para Eliminação Total das Armas Nucleares lembrando o impasse de duas décadas da Conferência sobre Desarmamento. E disse que as Nações Unidas estão prontas pra cooperar com todos e atingir a meta de um mundo livre das bombas nucleares.

Continue a ler
Advertisement
Advertisement
Advertisement
Ajude a defender os corais da Amazônia. Assine a petição
Advertisement

Trending