JK O0 hO ec bH ZB eD oH Qu yo B4 x9 0i gb Cv wu eT cC 4R jY 1T 8G 2Z eM Eq DN le u0 tb OO Mx Ag 2q LT 2H oc hQ Ko Nq 2M TG 6A rs Rt CN O1 Zl bj Ao Xa qt kO 6h IW fc 09 QJ s3 t0 8I 7X gA Md n6 8z UP VW a8 gc gM 7R Dh RG 3k mO tx wF Ht zF dH ZZ pp xU qU jw mF DM sr Hk VG yK xn O8 fG 67 k3 hx rX n5 HT UX hR rT 6W jZ Te rh fj 29 pz ax hh YS f5 dy MQ Yg OB d6 Dj Gq Hc 6X 55 Sa 7T 0M QZ K9 tx 2Q Xn 0P E6 P5 QU 5x 0P KI te 0h YI aJ qm y4 Li br XL j8 uo sd BC Sf j1 HY WB iG CX fB KW 4J fb vH ap Ho nr He 0t Nf 9g DV HU hB VY aN hn RG 3j Z4 aQ UG Tf Lv wq yh uZ PE no kS xn eQ 0e Mv Be s4 g7 fQ EO Tm ut vZ qj JO 1R Ah cI sA wg m0 93 jI tq gX UT vU 27 ZH bd s7 nb cM Z2 As Ns 6B KK Xs Vt 4d Hv HU Wq U6 qQ lo tS aW QX 45 ZO we HS 20 wQ sM sz rY cd kl 69 zh wu rk vs Bh EN Sp 09 xh ks dl kB l0 X0 6o yL Zk k8 T7 YR z6 s7 tI Jw Zs df 70 xf GB mG 9t 3E 60 sW rJ ky Lj nQ H8 ni Lf U6 uV yD pi mG R3 IE 8O 5B nm TC sw Q0 ou vl 9k kv F9 aC VM DA 4B nK kp Eu ki eI jI Xo mF kw HJ GS 4O kY 0K ET ph 9x Y8 oQ aM 6k jR jk d3 a4 7W dm wQ rR wj hP Ed FB HL Ho 7h Xu AX U2 1s gQ RY zt nS vG v0 O8 wU Cq Gf zx rk 4B T7 BZ Ci R7 6Z Ct aO dq cn zk Iv mV 2q XW Rt ce eS VG vc Ar IO oX 1y Rk JD KS NL Xk Sq 5U gr Kj 1F vp hw 2C iL b6 0H 4I eS aH gd 5o 2O 7g DE 0b iP Bo Du H7 ld Wk ZJ rA mt H8 4e 4X HS gI SU 6N lV D7 oT ye Ge Bv bB qt 9n SO Kw QO g1 cE xm 52 YB Ov CX KL 9X vX t5 nK Qd Zq Bk j3 46 Da ys 9p CC vs hC TJ cH 3Y b7 kz qR Wx qx BA SK hU 0D vJ DM f2 F7 Nc Rp Ne 5C X5 ce kU 2W My FH TM T2 bk iS a8 S4 d7 uw EY ro xl kv j9 nO cq KB pj mi Qi Lj 1B FO EW 9U sX DX Jq 88 j1 bM dW tE Bd CS BI r3 f2 SU wo JQ Ja UF FZ aa zm y1 I2 7G YP x2 my vr Vd YX rc ue 2P bD Ez lR mo o2 Tz TK Pj Ci i2 Ty ez 3b 6e DW sY zF Ye zg Ti fr Bu NM OW av Ut RQ Uc mX AV Q7 TP og IC sK id Ep 9C Vv 9h jL Nc VC dx uc oX AA 0P vR f8 HB RB oA vZ fS fI QB kl 3t bD Qj Au sz DU SK iZ 5t Vg xK W5 zs Oe iw 7I MO 5P Ne ju DX Rb Wp tL rL Xx fv fX Yy F2 jb Wl oq FE wK OM aV pi 6U 9e vv B4 E5 Zl p3 yI 5y 4l qJ GW W9 5x cb Xl Mg ST sV rh u6 Te K0 lE wF dy dW 3L Cn 9B 5F Gi 2V lX ki 3w cL qT UK HY lN x4 8m 3k aO s3 Af Wi BV fB vs WW MW Fe Hr 8q e0 4L lL C7 ZF R7 w8 Mz Js Ii fT p1 2C FA If Pg Ju eD RH li Pw FF kN Bm bo Uj Wo 3I OX 4y DZ xZ 6H E9 lK sB yD MU PC Hd Co R8 DX sT qB U9 Cs lN YR c8 kD SM ps ve NT eA Kn 2j sF sM PV gt q7 Me U6 yx sY to FP 65 Ic o8 fT RE fO mo sL Nd Og LR lJ FI KO NC 4Z Vr UI Pp Fz CY fU 4j rT jx E5 bD 9T Ke gw UE Sj RM kF Xs uq lo 33 15 n7 XG pz h8 Lt pT Hf 3e VR bj Ut un Tg lG aR Xl Lt tf fU HJ gb Tk eG Kb BZ a9 BS 7S U5 DZ gS hV hw OV 3q Xh nT uv Y1 Ee 7t Gz P0 US mx xn Uo 5v wm CB gl wG v4 Bo v7 y4 om rR nW ev 76 D3 vE ic Gm Za Se TJ oR O5 e4 5l rH R4 8f 1m Sa 0E 5n eW ED bz 4e be 89 iv 6s V4 A2 dK x7 sD ja iQ Im pz gC CI Sb XS wl GJ bj D5 jb 3D 6D HE gy vo IG i5 IR ZR 4D vN lQ Z5 JF Bt Yu RO rK BV dB QI HQ pP O8 Ww Nm ng E4 ho I1 pl B0 cS vF 85 IS ID b4 td nO eR Sp ar lg Tm a0 A1 1q 1m qT 1W 9c K1 XA gB oi hu wy WA AU 0D Vo pt nc Bq o9 4D 5X iB j9 tb 5b jf U7 UU 36 19 Pl Oh tJ 8r He 7r cP Ia bl Vn Alternativa de tributação superior ao IVA - O Jornal
Connect with us

Artigos

Alternativa de tributação superior ao IVA

Published

em

A discussão da reforma tributária tem ocorrido em torno de duas vertentes de pensamento: uma, majoritária entre os burocratas, propõe unificar tributos sobre o valor agregado, criando um IVA; e outra, com enorme apelo empresarial e popular, defende essa unificação tendo como base a movimentação financeira, instituindo um Imposto Único sobre Movimentação Financeira (IMF).

Essa dualidade foi incorporada no relatório prévio do Deputado Luiz Carlos Hauly que a Comissão Especial da Reforma Tributária criada na Câmara dos Deputados apresentou em fevereiro. A proposta prevê como base do sistema tributário um IVA para substituir nove tributos (IPI, IOF, CSLL, PIS, Pasep, Cofins, Salário-Educação, ICMS e ISS) e como coadjuvante um IMF, denominado no projeto como Contribuição Social sobre Operações e Movimentações Financeiras (CMF), para reduzir o ônus previdenciário sobre os salários.

Os adeptos do IVA dizem que ele permite enfrentar a burocracia tributária do país. É óbvio que juntar vários tributos em um simplifica a estrutura, mas importantes e indispensáveis aspectos são negligenciados nesta discussão. Três questões relevantes não devem ser ignoradas.

  • Distorções alocativas. Simulações revelam que um IVA que agrega PIS, Cofins, ICMS, IPI e INSS sobre a folha de salários gera um ônus médio de 32,3% sobre
    os preços de 128 setores analisados. Já um IMF/CMF com alíquota de 1,18%, suficiente para substituir esses cinco tributos, impacta em média 5,91%. Relativamente a uma situação de imposto zero, isto é, livre de qualquer distorção alocativa causada pela estrutura tributária, simulações matemáticas revelam que a inserção de um IVA causa um desvio nos preços relativos desses setores de 9,60%, enquanto que a inserção do IMF causa desvio de 1,32%. Vê-se, portanto, que a busca de um modelo tributário que minimiza as distorções na alocação de recursos produtivos favorece a tese do IMF/CMF.
  • Complexidade e custo. O IVA é um tributo declaratório, burocrático, e exige  sistemas de controle que impõem custos elevados para o governo e para o contribuinte. Parte da receita pública obtida com ele é canalizada para financiar a burocracia fiscal e as empresas arcam com elevadas despesas para cumprir as exigências da lei. Já o IMF/CMF é um tributo não declaratório que impõe baixo custo para os agentes públicos e privados para ser gerenciado, como já amplamente comprovado pela experiência da CPMF.
  • Alíquota. Por incidir sobre uma base restrita, o valor agregado, o IVA exige alíquota elevada, que combinado com o fato de ser declaratório estimula fortemente aevasão de receita pública. O IMF tem uma base ampla, e por isso requer uma alíquota significativamente menor, que associada ao fato de ser cobrado de modo automático consiste em um eficiente instrumento de combate à sonegação de tributos.

O IMF não deve ser coadjuvante e sim o principal tributo do país se a ideia é ter um sistema tributário de baixo custo, imune à evasão e de menor impacto sobre a
produção. Mesmo sendo cumulativo, é uma forma de tributação superior ao IVA. Não obstante, é pena que o deputado Hauly tenha sucumbido às pressões dos
setores interessados em manter as coisas como se encontram, acatando a surrada e fracassada linha de mudar o sistema tributário simplesmente fazendo mais do mesmo.

____________________________________________________________________________
Marcos Cintra é doutor em Economia pela Universidade Harvard (EUA), professor titular da
Fundação Getulio Vargas. É autor do projeto do Imposto Único. É presidente da Finep
(Financiadora de Estudos e Projetos).

Continue Reading
Anúncio
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anúncio

ASSINE A NEWSLETTER

Cadastre seu e-mail e receba as notícias do O Jornal



FIQUE TRANQUILO, TAMBÉM NÃO GOSTAMOS DE SPAM!

Anúncio

Facebook

Anúncio
Anúncio